Por Que a Obesidade é um Problema Mundial?

Fundo médico 3D de homem com excesso de peso com cotovelo e joelhos destacados Foto gratuitaA obesidade é uma doença indolente cujo  diagnóstico é realizado com a utilização do Índice de Massa Corpórea (IMC), obtido através da divisão do peso do paciente por sua altura ao quadrado  (Peso/Altura2).  Os valores de IMC entre 20 e 25 são considerados normais, enquanto que o IMC no intervalo entre 25 e 30 dá ao paciente o diagnóstico de sobrepeso .  Qualquer IMC acima de 30 é considerado obesidade . Em resumo,  o diagnóstico é obtido entre a relação de peso e altura seguindo critério matemático.

A obesidade tornou-se um problema de saúde pública no Brasil e no mundo, não só pela suas altas taxas hoje, mas  principalmente pelo seu crescimento nos últimos anos e consequentemente, de todos os outros problemas de saúde que podem acompanhá-la. Estudo  recente do Ministério da Saúde aponta que o sobrepeso acomete 54% da população brasileira, enquanto 18,9% encontram-se na faixa da obesidade. Já um levantamento americano aponta crescimento de 33 para 39% de obesos em sua população quando comparados os anos de 2008 e 2016, enquanto cerca de 8% dos americanos são obesos graves, com indicação de cirurgia bariátrica.

O crescimento da obesidade naturalmente eleva o risco e a incidência de outros transtornos de saúde relacionados a ela como o diabetes, a hipertensão (pressão alta), os distúrbios do colesterol e, por consequência, as doenças cardiovasculares, como o infarto e os acidentes vasculares cerebrais (AVC), também comumente conhecidos como derrame. Um estudo inglês apontou que 63% dos homens diabéticos são obesos e que o diabetes pode pular dos atuais 6% para quase 10% da população em 2030, acompanhando o aumento da obesidade. Já um artigo americano defendeu o aumento de 198% do diabetes nos próximos 45 anos, número realmente assustador, quando levamos em conta todas as sequelas que a doença causa.

As causas da obesidade são diversas e passam por uma dieta inadequada, muitas vezes com alto teor calórico, mesmo em baixo volume , como por exemplo o consumo de doces industrializados ou fast food; diminuição progressiva de gasto calórico diário, principalmente nas grandes cidades, onde cada vez mais o sedentarismo é presente na vida diária , transtornos de ansiedade e muitos outros, incluindo genéticos.

O tratamento clínico é indicado para todos e é composto por diferentes facetas como dieta, aumento do consumo calórico pro meio de exercício físico e possível uso de medicações que visam diminuir o apetite, diminuir a absorção da caloria ingerida ou controlar a ansiedade, que leva aos comportamentos alimentares compulsivos .

Neste cenário, perguntas frequentes são: quando, por que e para quem o tratamento cirúrgico da obesidade é uma alternativa e quais os benefícios deste frente ao tratamento clínico? Essas e outras questões serão abordadas em novos tópicos que você acompanha em nosso site.