Esôfago

img-esofagoAs principais doenças do esôfago podem ser tratadas por meio da cirurgia. A nossa preferência é para a cirurgia minimamente invasiva, que oferece menos danos e menor tempo de recuperação para o paciente. Sempre que é possível, usamos a cirurgia robótica, mas também operamos usando a videolaparoscopia.

  • Doença do refluxo gastroesofágico (DRGE): originada pelo retorno/refluxo de conteúdo gástrico ao esôfago, tem como principais sintomas a azia e a regurgitação (sensação de liquido gástrico na “garganta”). É facilitada por alguns tipos de alimentos e bebidas, como o uso excessivo de café, refrigerantes etc., algumas medicações, obesidade e alterações da anatomia local, como a hérnia de hiato.
  • Hernia de hiato: Defeito ou alargamento na região do diafragma por onde o esôfago atravessa da região torácica para a abdominal, normalmente com passagem inadvertida do fundo gástrico para a posição intratorácica. Condição comumente relacionada à DRGE.
  • Megaesôfago (chagásico e idiopático/sem causa): Alargamento e perda da capacidade de contrair e voltar do esôfago, associado ou não à Doença de Chagas que causa dificuldade progressiva na passagem dos alimentos da boca ao estômago. O sintoma mais comum é a disfagia (dificuldade em engolir), referida como sensação de entalamento, que tem início lento, normalmente manifestando-se apenas com alimentos sólidos e em pedaços grandes, e com piora progressiva podendo impossibilitar a ingesta, inclusive de líquidos, com consequente emagrecimento e desnutrição.
  • Divertículos esofágicos – doença da parede muscular do esôfago com criação de recessos neste órgão podendo dificultar a deglutição ou formando verdadeiros “reservatórios” de restos alimentares na parede do esôfago favorecendo distúrbios do hálito e gerando sintomas como dor, sensação de nódulo ou refluxo.
  • Nódulos e tumores esofágicos – tratamento do câncer de esôfago.